Depilação A Laser Alexandrite ou Diodo: Qual é o melhor?

Escrito por: Michelle Martins

depilacao a laser alexandrite

Os prós e contra da depilação a laser Alexandrite estão relacionados com as chances de queimaduras, com a dor, quantidade de sessões e durabilidade da depilação. Outro laser é o de Diodo, ele possui algumas diferenças e pode ser a opção mais segura. Entenda a comparação.

Depilação a laser pode parecer que se trata sempre da mesma coisa em qualquer clínica, mas a verdade é que cada uma pode oferecer o tratamento com um tipo de laser.

Pra quem já se inteirou do assunto sabe que existe um bem conhecido, o Alexandrite.

E pra quem ainda não sabe ou está em dúvida, existe o laser de diodo que, pode acreditar, merece uma boa comparação antes de você pagar pela remoção definitiva dos pelos.

Fique de olho nos detalhes de cada um!


Como funciona a depilação a laser

Mesmo que basicamente todo equipamento de depilação a laser funcione pelo mecanismo de atração da melanina, pigmento responsável pela coloração dos pelos.

Algumas características como comprimento da onda e concentração do feixe de energia vão resultar em experiência e resultado bem diversos.

Laser Alexandrite

O laser Alexandrite possui ondas de 755 nanômetros de comprimento e seu foco é a atração direta da melanina.

Além de conseguir chegar até a camada média da derme.

O detalhe importante desse tipo de laser é que as chances de queimadura são maiores, principalmente se você estiver com a pele bronzeada.

O feixe de luz é disparado várias vezes em uma área maior e com menos energia.

Laser Diodo

Mais avançado e seguro que o Alexandrite.

Possui comprimento de onda de 800mn e 810mn e consegue penetrar mais profundamente no folículo do pelo.

Seu feixe é de luz pura, concentrado e intenso. Direcionado e sem riscos de manchar a pele.

Você já ouviu falar que a depilação a laser clareia a pele? Vem conferir esse assunto neste artigo: Depilação a Laser Clareia a Pele Com 3 Condições

Quantas sessões de depilação a laser?

A quantidade de sessões sempre pode variar de acordo com a avaliação do profissional.

Influenciam também a quantidade de pelos, as fases de crescimento do pelo e a sua pigmentação.

Fora esses fatores individuais, a tecnologia de depilação a laser com Alexandrite ou o Laser de Diodo possuem características específicas quanto à quantidade de sessões.

Laser Alexandrite

O laser Alexandrite pode ter regulação e interferir na quantidade de sessões.

O seu feixe de luz tem alta afinidade pela melanina, por isso é sempre necessário regular a sua energia para casos de peles morenas ou negras.

Na medida que reduz a energia, a quantidade de sessões aumentam para atingir um  resultado mais satisfatório.

Como o laser alexandrite é considerado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) como um laser grau III, sua aplicação deve ser feita apenas por médicos.

As sessões podem chegar até 12 visitas para remoção mais completa.

Pode ser que sejam necessárias duas ou três sessões de manutenções ao ano.

Laser Diodo

Para o laser de diodo, a quantidade de sessões pode ser reduzida.

Apesar de seguir as mesmas condições de avaliação individual, o laser de diodo atinge a raiz do pelo e “mata” as células germinadoras.

O seu feixe de energia consegue alcançar a camada mais profunda.

Só não elimina totalmente os pelos nas primeiras sessões por que é preciso respeitar as fases de crescimento do pelo.

Queremos dizer que nem todos os pelos estão crescendo ao mesmo tempo.

Então há necessidade de continuar o tratamento para que o laser reconheça os pelos que ainda estão crescendo.

5 sessões já são necessárias para reduzir 90% do pelo indesejado. Embora desde o primeiro dia possa conseguir resultados surpreendentes.

Vamos deixar um artigo aqui contando o que o laser faz com o pelo: Como Fica a Pele Depois da Depilação a Laser: Da Primeira à Última Sessão

A depilação a laser alexandrite funciona para todo tipo de pele?

Já deu pra notar que a depilação com laser Alexandrite não é a melhor recomendação para peles com maior quantidade de melanina, né?

Explicamos melhor.

Laser Alexandrite

O laser Alexandrite possui regulação do comprimento e da intensidade da luz, isso permite que peles morenas façam o procedimento com esse tipo de laser.

Lembrando que se você estiver no time das mulheres com maior quantidade de melanina e pigmentação, então serão necessárias mais sessões.

Outro fator é que peles negras e com muita melanina ainda se corre o risco de queimaduras e manchas.

Portanto, tudo vai depender do seu fototipo, qual é o seu?

Fototipo I: Pele branca – sempre queima – nunca bronzeia – muito sensível ao sol.

Fototipo II: Pele branca – sempre queima – bronzeia muito pouco – sensível ao sol.

Fototipo III: Pele morena clara – queima (moderadamente)– bronzeia (moderadamente) – sensibilidade normal ao sol.

Fototipo IV: Pele morena moderada – queima (pouco) – sempre bronzeia – sensibilidade normal ao Sol.

Fototipo V: Pele morena escura – queima (raramente) – sempre bronzeia – pouco sensível ao sol;

Laser Diodo

A energia emitida pelo feixe de laser atinge apenas a raiz do pelo, sem afetar diretamente a melanina da nossa pele.

Só com isso você evita possíveis manchas decorrentes do laser.

O comprimento da sua onda alcança camadas mais profundas da derme e exige menos sessões do que os outros tipos de laser.

Além disso, o aparelho também recebeu do órgão americano de controle de medicamentos (FDA) a aprovação para redução definitiva de pelos do corpo.

Como o laser de diodo não afeta áreas da pele, ele é mais seguro para ser utilizado em qualquer fototipo.

Vou deixar outra sugestão de leitura: Pele Negra Pode Fazer Depilação a Laser? Sim, Mas Com 5 Cuidados



A depilação a laser dói?

Todos que já procuraram saber mais sobre depilação a laser nos últimos anos tem uma opinião em comum: dói.

Mas, já contamos que muita coisa mudou depois que a técnica foi lançada e se tem uma coisa que virou mito é que a depilação a laser dói demais.

Vamos aproveitar para fazer um resumo das duas tecnologias.

Laser Alexandrite

O detalhe importante desse tipo de laser é que as chances de queimadura são maiores, principalmente se você estiver com a pele bronzeada.

Não é possível garantir que a depilação com laser alexandrite seja definitiva.

Manutenções podem ser necessárias após um ano aproximadamente.

Já no quesito dor, o Alexandrite pode ser muito dolorido quando realizado com o máximo de sua energia.

Geralmente é utilizado um gel de criogênio para resfriar a região e amenizar a dor.

Laser Diodo

Chamamos a LaserFast,  especialista em depilação com laser de diodo. Ela explica o seguinte:

“Eliminar os pelos sem dor geralmente remete a lâmina e cremes depilatórios. NÃO MAIS! Nosso procedimento contém um novo sistema de refrigeramento que protege durante o tratamento”

Outra característica do laser de diodo é o resfriamento da ponteira em contato com a região.

Essa ponteira tem a função de realizar uma super camada de proteção e deixar o processo de depilação praticamente indolor.

Outros tipos de laser possuem resfriamento por agentes externos, como o criogênio.

O que pode deixar a pele mais suscetível à desidratação e queimaduras.

Viu como detalhes de cada laser podem influenciar muito a experiência no momento da depilação e ainda ser decisivo quanto à eficiência?

Você pode testar o laser de diodo, a LaserFast vai deixar o vale aqui no artigo:

cta ganhe-3-sessoes-depilacao-laser-fast


Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo