Laser De Depilação: Qual Destes 3 Escolher?

Escrito por: Michelle Martins

laser de depilação

Avalie o artigo

O laser de depilação não deve ser confundido com o laser ultravioleta, este pode causar danos à pele. Já a depilação a laser usa um feixe luminoso com profundidade capaz apenas de atingir a camada superficial da pele e tem atração direta pela melanina presente nos pelos. Escolha o seu!

Há bons anos que o tratamento de depilação definitiva vem se desenvolvendo e garantido cada vez mais segurança, eficácia e, principalmente, mais conforto. 

São alguns detalhes como a capacidade de atração da melanina, comprimento da onda do laser, concentração e intensidade do feixe de energia e outras características técnicas de cada equipamento que tornam cada tipo de laser diferente. 

Você já ouviu falar do laser alexandrite, do Nd Yag, da fotodepilação ou de diodo? Vamos te contar os detalhes de cada um deles agora! 

Mas, antes um esclarecimento rapidinho 👇


Laser de depilação faz mal? 

O que mais confundiu, ao longo dessas décadas de desenvolvimento da tecnologia, é a relação entre o laser para depilação e o conhecido laser ultravioleta. 

Os raios que o laser ultravioleta emite, tecnicamente falando, tem comprimento de onda diferentes e não é utilizado para depilação. 

O laser de depilação definitiva age apenas na melanina presente nos pelos e não é capaz de agredir ou alterar o DNA das nossas células. 

Existem outros riscos? Sim! Mas são todos relacionados com irritações e possíveis queimaduras na superfície da pele quando o cuidado e o manuseio do equipamento não é realizado por um profissional capacitado. 

Além disso, com certeza tem outros cuidados que fazem toda a diferença no resultado sem manchas, sem queimaduras e com uma pele lisinha, livre de pelos.

A gente esclareceu melhor aqui neste conteúdo especial:  Depilação A Laser Dá Câncer? NÃO! Entenda O Porquê

Agora sim, vamos tipos de laser de depilação! 


A fotodepilação não é um tipo de laser

Seguindo a linha do esclarecimento, já fica o alerta para quem ainda não sabia: a fotodepilação ou luz pulsada não é um tratamento de depilação a laser. 

Fotodepilação é basicamente uma luz.

Uma luz intensa pulsada (do inglês IPL) emitida através de um aparelho que possui uma espécie de lâmpada flash de alta energia. 

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), o procedimento é feito  com um equipamento dotado de uma fonte de energia luminosa. 

Como tem diferentes comprimentos de onda, pode atingir diferentes camadas da pele.

O feixe de luz é disparado de forma mais espalhada e atinge os pelos mais superficialmente não sendo capaz de eliminá-los de vez,  mas sim de enfraquecê-los.

Isso quer dizer que a sua regeneração acontece progressivamente e os pelos voltam a crescer mais rápido ou lentamente.

A depender também de fatores biólogos de cada pessoa. 

Ainda se corre o risco da fotodepilação não conseguir destruir toda a estrutura da raiz do pelo, onde estão as células produtoras de pelos em nosso corpo. 

Este novo ciclo de crescimento do pelo pode começar cerca de 6 meses após o tratamento. 

Para alguns, este período pode ser menor ainda. 

O alerta, neste caso, é simples: não confundir depilação definitiva com fotodepilação. 

,

Laser alexandrite para depilação

O laser Alexandrite possui ondas de 755 nanômetros de comprimento e seu foco é a atração direta da melanina.

A sua quantidade de energia deve ser regulada pelo profissional, exatamente pela sua alta atração pela melanina.

O disparo pode ser realizado várias vezes em quantidades menores de energia até que ele consiga atingir e destruir a estrutura da raiz dos pelos. 

A quantidade de sessões pode ser maior do que os outros tipos de laser para se obter um resultado mais efetivo. 

Este tipo de laser, apesar de sua eficiência, ele não é o mais recomendado para os brasileiros. 

Exatamente por sua alta atração pela melanina, pigmento responsável por dar cor a nossa pele. 

A indicação principal é para peles claras. 

Peles negras para este tipo de laser podem ter riscos de queimaduras. 

Quando realizado com seu máximo de energia, a depilação com este tipo de laser é,  para a maioria das pessoa, dolorosa. 

Tanto é que em algumas clínicas é utilizado um gás de criogênio para resfriar a região e amenizar a dor.

Mas, fica o alerta: Este gás pode causar queimaduras pelas baixas temperaturas.

Laser Nd Yag para depilação definitiva 

Este tipo de laser tem comprimento de onda de 1.064nm e baixa afinidade pela melanina. 

Por ter alta profundidade pode ser um dos mais doloridos e seu feixe de energia também pode ser regulado para o vários disparos por alguns segundos. 

Entretanto,  a sua ponteira costuma ser grande tornando a densidade da energia do laser baixa e pouco efetiva. 

Não há garantia que após uma média de 12 sessões, o resultado seja 100% definitivo.

Este tipo de laser, ao contrário do alexandrite, não tem a tecnologia de alta atração da melanina. 

Uma características bem marcante deste tipo de laser, afinal sua energia se expande e os riscos de agredir a pele ao redor seriam altíssimos. 

Pode ser realizado em qualquer fototipo. 

Quer saber quais os fototipos considerados? Aqui tem todos: Depilação A Laser Pele Negra: Tudo Que Você Precisa Saber Antes de Fazer

É também o mais dolorido por ter o comprimento de onda de 1064nm. 

Apesar de conseguir alcançar o bulbo do pelo é o tratamento menos comum para depilação definitiva no Brasil.

Este tipo de laser é o indicado também para remoção de tatuagens. 


Laser de diodo conduzido em fibra ótica 

Uma diferença pequena, porém crucial: a eficácia para o laser de diodo

Uma informação mais técnica diria assim: que os cabos de cobre estão sendo substituídos por cabos em fibra,  cuja luz transmitida proporciona o alcance de taxas de transmissão (velocidades) elevadíssimas. 

O fato é que a gente ouve muito sobre fibra ótica quando o assunto é internet, TV e telefonia, certo? 

No equipamento que conduz a energia do laser,  logo que ela é ajustada e disparada pelo profissional,  a velocidade e intensidade chegam sem perdas até a raiz dos pelos. 

Pode ser um único disparo com o máximo de potência e energia. 

Ou pode ser vários pequenos disparos com menos energia regulada. 

A fibra ótica torna a energia do laser de diodo potente, concentrada e intensa, sem se expandir sobre a pele ao redor, como é caso de outros tipos de laser e da fotodepilação

Assim como você já viu na imagem que mostram lá em cima. 

O resultado? Sessões mais rápidas, mais eficientes e redução surpreendente da quantidade de pelos já a partir das primeiras sessões. 

E por que o laser de diodo? Por que é o mais seguro para todo tipo de pele e possui o comprimento de onda mais eficaz, sem prejudicar a pele. 

O laser de diodo possui comprimento de 810 nm e consegue alcançar a raiz dos pelos de forma bastante eficaz. 

O seu feixe de energia é concentrado e intenso. 

A energia emitida pelo feixe de laser atinge apenas a raiz do pelo, sem se expandir e afetar diretamente a melanina da nossa pele. 

Só com isso você evita possíveis manchas decorrentes do laser de depilação. 

Além disso, o aparelho também recebeu do órgão americano de controle de medicamentos (FDA) a aprovação para redução definitiva de pelos do corpo.

Como o laser de diodo não afeta áreas da pele, ele é mais seguro para ser utilizado em qualquer fototipo.

Outro detalhe importante é que ele pode ser encontrado com a ponteira resfriada. 

O que vai tornar a sessão além de mais rápida muito mais confortável. 

Essa ponteira tem a função de realizar uma super camada de proteção e deixar o processo de depilação praticamente indolor. 

Tecnicamente falando, ele é mais avançado e seguro que o Alexandrite. 

Pra fechar, a Laser Fast pode te ajudar a testar o laser de diodo em fibra ótica. 

Temos 3 sessões grátis nas axilas aqui pra você 👇

laser de depilação

Ah! Só uma curiosidade pra quem vai usar o voucher: 3 Sessões De Depilação A Laser: Como Conseguir? Funcionam Mesmo?

Avalie o artigo

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo